terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Meu coração não bate devagar... Nem o seu.


Chegamos atrasados para aquele show, mas curtimos outros. Aquele festival era nossa cara. Boêmios, sujamos os sapatos de lama, enquanto curtíamos as bandas independentes de rock. Apaixonados, sorriamos o tempo inteiro um para outro. A cabeça cheia de vinho e a estrada era longa de volta. Irresponsáveis, compramos mais cervejas...
O som alto, as guitarras tocavam forte as músicas que tanto gostávamos de compartilhar. Os vidros baixos, cabelo ao vento, arrepio na pele. Jovens.
Eu sempre apertada para fazer xixi, quantas vezes paramos em acostamentos para aliviar? Você sempre dando um jeito de me cobrir.Sorríamos, a estrada era nossa. A estrada do mundo inteiro.
Coração leve, jovens roqueiros apaixonados um pelo outro e pela vida, que a gente fazia tanta questão de viver até onde desejávamos. Malucos. Tudo era seguro, mesmo sendo muito arriscado. Quantas vezes a lei freou nossa maluquice? Quantas vezes sorrimos e acenamos para a morte?
Som, sexo e cerveja, onde quiséssemos. Lembra, éramos donos da porra toda?
Quantas manhãs de sol, som e brisa. Quantas vezes o sol nasceu e se pôs e assistimos isso de mãos dadas? Corremos para viver tudo, e juntos vivemos!

Tanta lembrança, tanto amor... Saudades!
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário