quinta-feira, 12 de maio de 2016

"A injustificável poda da flor..."

Hoje eu li uma matéria sobre uma jovem holandesa que sofreu abusos dos 5 aos 15 anos de idade, e como consequência desses abusos sofria de estresse pós-traumático, depressão crônica, anorexia severa e alucinações. Ela solicitou autorização de seu país para fazer eutanásia, e morreu em 2015, quando recebeu a liberação...


[...]

Hoje também li uma matéria sobre as críticas que o filho de Woody Allen faz à mídia, em relação ao silêncio da mesma em torno às acusações que pesam sobre Woody Allen, de ter abusado da própria filha adotiva, em 1990...


[...]

Ontem li algo sobre uma denúncia de abuso, anteontem também...


[...]


No começo da semana, li sobre uma nadadora que foi abusada pelo treinador, e enfrentou uma terrível depressão... 


[...]


Padres, tios (as) , pais, mães, amigos (as), pastores(as), namorados(as), maridos, esposas, chefes...Etc. ABUSADORES!


[...]

Há dias, quem sabe, anos que acompanho esse tipo de notícia.

[...]


Segundo o jornal Gazeta do povo, a cada dia pelo menos 20 crianças de ZERO(!!) a NOVE anos de idade são atendidas no SUS, vítimas de abusos sexuais. Dados de 2014, provavelmente o número dobrou, isso se não triplicou.


[...]


Essas notícias me cansam, me desanimam e entristecem. Que mundo é esse? Não reajo bem, sei o terror que se passa dentro da cabeça dessas vítimas. Sei o que é perder a vontade de viver, sei o que é ser destruída emocionalmente da forma mais covarde possível, sei o que é ter marcas na alma, que nunca me deixará esquecer.

Alguns comentários no Facebook, julgavam a escolha da garota holandesa pela eutanásia, outros afirmavam que ela começou a morrer aos 5 anos, no primeiro abuso. E eu acho que sim. A vida começa a esmorecer quando se passa por algo tão monstruoso. É difícil ter forças. Ainda mais sendo tão criança, tão inocente a todo tipo de maldade. E difícil agir contra um mundo que te fere, de forma tão profunda. Me vejo em todas essas crianças, sinto esse desespero, essa confusão. 


O mundo está maluco e tem condenado as crianças a morte. Triste é deixar-se levar, triste é deixar-se calar.

Grata a Deus, minha fortaleza; e a minha família, meu alicerce. Luto todos os dias, observando as marcas e por vezes curando as feridas da alma, que às vezes, ainda insistem em sangrar. Relembrar isso, açoita a alma, machuca o que sou. Não cairei. Resistirei... Todos os dias!


"Um inocente cai e nossa alma fica manchada de rubro!"


Um comentário: